Vácuo literário

No último post eu estava falando sobre indecisão e preguiça. Como vocês poderão logo notar, se acompanharem este blog, raramente eu tenho inspiração suficiente pra escrever daquele jeito. Em geral, apesar de saber o que quero dizer, tenho dificuldade em arrumar palavras pra expressar a minha mensagem.

Nem sempre foi assim. Uma das minhas matérias preferidas no colégio era justamente Técnicas de Redação (com a inigualável Deusita). Eu estava sempre escrevendo alguma coisa diferente, sobre algum assunto diferente. O pouco que sei sobre técnicas de narração e dissertação aprendi naquela época (que já vai longe).

Provavelmente a falta de prática me fez ficar assim, sem palavras. Eu me lembro que, na época, cheguei até mesmo a escrever alguns poemas; quando eu os leio, hoje, me sinto um mané, me lembrando das coisas que me passavam pela cabeça quando escrevi a maioria deles. Cheguei até mesmo a arriscar um haikai, coisa pequena, uma estrofe só, mas depois que entrei na faculdade, tudo isso passou.

Seria equivocado pensar que o ritmo acelerado de cursar um bacharelado em Física tenha sido o responsável pela repentina interrupção da minha “carreira literária”. Até mesmo porque, naquela época, eu mal estudava, pra ser honesto. No começo era porque não tinha tempo mesmo – passava cerca de seis a sete horas por dia dentro de um ônibus. Mas, depois, quando comecei a morar no CRUSP, eu morava a quinze minutos a pé da faculdade, e mesmo com todo esse tempo livre a quantidade de tempo que eu dedicava aos estudos não mudou muito.

Sabe como é, quanto mais tempo livre a gente tem, mas bobagem a gente arruma pra fazer. Foi mais ou menos nessa época que comecei a jogar RPG. Mas eu não estou reclamando – começar a jogar RPG foi uma das melhores coisas que me aconteceram no CRUSP.

Enfim, voltando ao tema inicial, o que interessa é que, depois que saí do colégio, escrevi muito pouco. O que não quer dizer que eu não tenha escrito nada, que fique bem claro. Escrevi alguns fanfics… até mesmo criei um site dedicado a isso, site esse que encerrei na virada deste ano, depois de quatro anos de atividade.

Só recentemente eu tomei um pouco de coragem e comecei a escrever algo realmente original – uma estorinha que deve virar quadrinho on-line no mushi comics assim que houver tempo pra esse projeto andar pra frente. Eu só espero ter a capacidade de dar continuidade a ela de maneira adequada. Uma das minhas maiores preocupações toda vez que começo a escrever uma história (e comecei um monte delas…) é terminá-la. Infelizmente, de todas as que comecei, só uma eu realmente consegui terminar a contento. As outras pararam no meio do caminho por falta de imaginação ou por mera perda de interesse… o que me deixa bem triste. Odeio deixar as coisas pela metade.

Enfim, de qualquer maneira, dentre os vários projetos que tenho pro ano que vem, um deles é justamente voltar a escrever com maior freqüência, e não apenas as narrativas que tenho, de um jeito ou de outro, praticado, mas também as dissertações.

Especialmente as dissertações, pra ser honesto.