Rio 2016… so what?

Ok, então finalmente o Rio de Janeiro conseguiu emplacar uma candidatura e (provavelmente vencendo pelo cansaço) conseguiu ganhar a eleição de sede das Olimpíadas de 2016.

Por um lado, isso não deixa de ter um lado positivo (afinal de contas, alguma coisa de bom os eleitores devem ter visto pra decidir votar no Rio). Eu mesmo acho que existe uma pequena chance de isso trazer boas coisas para o Rio de Janeiro e para o Brasil em geral. Afinal de contas, os Jogos Olímpicos não são um evento “pequeno” como os Pan-Americanos. O mundo inteiro estará com os olhos voltados para cá. Isso significa uma de duas coisas: ou o Brasil finalmente toma vergonha na cara (ou, pelo menos, a sede dos Jogos) ou o mundo inteiro vai finalmente ver os podres mais vergonhosos da Cidade Não Tão Maravilhosa Assim.
E é justamente esse o problema. Conhecendo o Brasil, é fácil notar que, embora haja muita coisa boa por aqui, não somos um país maduro o suficiente. Não sabemos lidar com a posição que temos no mundo, não sabemos lidar nem mesmo com nossa própria riqueza. Nosso povo não dá valor ao próprio país e, enquanto não desenvolvermos a consciência de que temos que valorizar o que é nosso, nunca vamos sair do lugar.
Claro, a esperança é a penúltima a morrer. Mas quando o assunto é Brasil é bem difícil acreditar…